Protocolo de Entrevistas

Todos crescemos dentro de ambientes mais ou menos diversos e inclusivos.

Isso faz com que tenhamos certas ideias arraigadas sobre pessoas em sua atuação profissional. Alguns exemplos de ideias que podem estar guiando a escolha dos profissionais que contratamos:

Mães

Mães com filhos pequenos não querem ou não podem participar de projetos que demandem muitas horas extras

Distância

Pessoas que moram muito distante do local de trabalho serão menos produtivas

Idade

Jovens são inconstantes ou idosos são menos criativos…

Ao conduzir a entrevista com um candidato a uma vaga de emprego, devemos deixar essas ideias de lado. Veja algumas sugestões:

Substitua estas perguntas:

Onde você mora? Quanto tempo você leva para chegar até aqui/ até o local em que você trabalhará?

Por estas:

Começamos a trabalhar às 7h/8h/9h da manhã e terminamos às 17h/18h/19h. Tudo bem para você?

Substitua estas perguntas:

Você tem filhos? Quem cuida dos seus filhos enquanto você trabalha?

Por estas:

Temos alguns projetos que às vezes demandam horas extras e foco total, sem possibilidade de faltas. Você tem disponibilidade?
Você tem disponibilidade para viagens curtas/longas?

Substitua estas perguntas:

Que faculdade você fez?

Por estas:

Faça perguntas técnicas se quiser saber o nível de conhecimento específico do candidato. Perguntas como: O que você sabe/ conhece de tal tema/ assunto? Você conhece tal ferramenta? Você já teve que enfrentar uma situação X? Durante o seu curso de graduação/técnico/tecnólogo, você teve acesso à ferramenta/metodologia XYZ? Durante o seu curso de graduação/técnico/tecnólogo, você teve oportunidade de atuar em um projeto/grupo multidisciplinar?

Substitua estas perguntas:

Quando você pretende ter filhos?

Por estas:

Vamos entrar num processo de integração com outra companhia que vai durar dois anos. Estamos contratando uma profissional que possa nos auxiliar no processo durante esse período. Tudo bem para você?

Substitua estas perguntas:

Você é casado/a? Namora?

Por estas:

Sério, que diferença isso faz para o desempenho profissional? Não pergunte isso.

Substitua estas perguntas:

Qual sua religião?

Por estas:

De novo isso não faz diferença, a não ser que haja alguma implicação em relação à disponibilidade para o trabalho (festas religiosas em geral). Nesse caso, basta deixar claro que a disponibilidade deve ser total em X dias por semana.

Substitua estas perguntas:

Quantos anos você tem?

Por estas:

A idade de uma pessoa não implica necessariamente experiência ou falta dela, nem espírito criativo ou falta dele. Pergunte sobre projetos em que o/a candidato/a participou, seus sucessos e fracassos, o que ele/a faria de maneira diferente. Isso vai lhe dar uma ideia melhor sobre o profissional que você tem à frente.

Substitua estas perguntas:

Com quem você mora?

Por estas:

De novo, pergunta desnecessária porque a situação de moradia do/a candidato/a não faz nenhuma diferença para seu desempenho profissional. Se o objetivo for analisar conflitos de interesse, melhor deixar claro que a companhia não aceita situações de conflito e se houver algum conflito relevante o trabalho do/a candidato/a na empresa pode ficar prejudicado. Se quiser analisar conflitos de interesse: Você possui algum parente, familiar ou alguém mais próximo de você que trabalha nessa empresa?

Substitua estas perguntas:

Em que seu pai/ sua mãe/, seu/sua filho/a trabalha?

Por estas:

Qual o objetivo dessa pergunta? Se for analisar conflitos de interesse, melhor deixar claro que a companhia não aceita situações de conflito e se houver algum conflito relevante o trabalho do/a candidato/a na empresa pode ficar prejudicado. Se quiser analisar conflitos de interesse: Você possui algum parente, familiar ou alguém mais próximo de você que trabalha nessa empresa?

©2020 Idis - Instituto pela Diversidade e Inclusão no Setor de Seguros | by Cloudbe

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?